Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

Transmissão

​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​ENERGISA TRANSMISSÃO

 

O Grupo Energisa fez a sua estreia no setor de transmissão de energia em 2017 ao arrematar dois lotes em leilão realizado pela Aneel. O Grupo levou o lote 3, em Goiás, por R$ 36,7 milhões de receita anual permitida (RAP) frente ao valor máximo estabelecido pela agência, de R$ 58,8 milhões; e o lote 26, no Pará, arrematado por R$ 46,3 milhões ante o valor máximo inicial de R$ 65,7 milhões. Os dois empreendimentos terão sinergias com regiões de atuação da empresa no Norte e Centro-Oeste do país. 

O lote 3, com extensão de 136 quilômetros, é composto por instalações que ficam no estado de Goiás, incluindo a linha de transmissão de 230 kV Rio Verde Norte – Jataí em circuito duplo e a subestação Rio Verde Norte. A entrada em operação comercial será até agosto de 2021. A obra trará ainda benefícios para os sistemas da Energisa Mato Grosso do Sul e da Energisa Mato Grosso.

Já o lote 26 – que fica em uma área quase na divisa com Mato Grosso e Tocantins, em região de fronteira agrícola – consiste na Linha de Transmissão 230 kV Xinguara II – Santana do Araguaia em circuito duplo e a nova subestação Santana do Araguaia, com extensão total de 296 quilômetros. A entrada em operação se dará até fevereiro de 2022.

Em 2018 o Grupo Energisa arrematou o lote 19, também no Pará, por R$ 33,5 milhões de receita anual permitida (RAP). O lote consiste da Linha de Transmissão (LT) 500 kV Serra Pelada –Integradora Sossego, em circuito duplo com extensão de 66,5 km; da LT 230 kV Integradora Sossego –  Xinguara II, em circuito duplo com extensão de 72,3 km; e das subestações (SE) 500/138 kV Serra Pelada –  pátio novo de 138 kV, com capacidade de 300 MVA; e SE 500/230 kV Integradora Sossego – pátio novo de 500 kV capacidade 1.500 MVA.

As instalações reforçarão o atendimento elétrico à região sudeste do Pará e se interligarão com o lote 26, resultando ainda em sinergias construtivas, operacionais e de manutenção entre os projetos.

Dando seguimento à estratégia de crescimento em regiões chave para os negócios do Grupo, foi arrematado ainda no leilão 004/2018 o lote 4, entre a Bahia e o Tocantins, por R$ 62,8 milhões de receita anual permitida (RAP) frente ao valor máximo estabelecido pela agência, de R$ 116,06 milhões. Com 772 quilômetros, o empreendimento terá sinergia com a Energisa Tocantins e inclui três linhas de transmissão de 230 kV entre os municípios de Dianópolis, Gurupi, Palmas (TO) e Barreiras (BA), além de duas subestações de 500/230 kV e 150 MVA e 230/138 kV e 200 MVA. A estrutura servirá para escoar a energia proveniente da geração hidráulica e fotovoltaica da região e reforçar a confiabilidade do abastecimento da capital, Palmas. O prazo para conclusão das obras previsto pela ANEEL é de 60 meses, com entrada em operação comercial até março de 2024.