Energisa Juntos

Animaparque: novo estúdio-escola promete revolucionar a animação no Brasil

Com investimento de R$ 2 milhões do Grupo Energisa, espaço nasce com infraestrutura para a formação de animadores e para a produção de filmes nacionais e internacionais, em um modelo inédito na América Latina

Publicada em: 01/12/2023

 Região: 

Região: 

Minas Gerais

Em uma atmosfera de entusiasmo e criatividade, Cataguases se prepara para escrever um novo capítulo em sua história cultural com a inauguração do Animaparque, um pioneiro estúdio-escola de animação que promete transformar a Zona da Mata Mineira em um vibrante epicentro do talento animado brasileiro. Esta cidade, que já viu florescer uma notável produção cinematográfica nos anos 20, agora se torna palco de uma revolução artística ancorada no Animaparque, inaugurado no dia 30 de novembro.

Com um modelo inédito que une formação e produção, o Animaparque já nasce como um robusto ecossistema do setor de animação brasileiro, oferecendo: 

  • Infraestrutura de última geração, pronta para receber suas primeiras grandes produções nacionais e internacionais em 2024
  • Qualificação profissional para o setor com o curso de graduação “Tecnologia em Cinema e Animação”, oferecido gratuitamente em parceria com a Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
  • Parque público aberto para a comunidade.

O espaço ocupa uma área total de 10 mil m², em Cataguases, Minas Gerais, e contou com o patrocínio de R$ 2 milhões do Grupo Energisa. Ele será gerido pela Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais (Apolo), que também recebe apoio do Grupo no projeto Rio Pomba Valley, um hub de educação digital e empreendedorismo.

Fundado em 2010, o Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais é reconhecido nacionalmente por instituições públicas e empresas do setor audiovisual, com grandes produções realizadas em diversas cidades da região. O Animaparque se inspira na história marcante de uma cidade que carrega a herança do cineasta Humberto Mauro, figura considerada o “pai do cinema nacional”. É uma oportunidade única de unir tradição e modernidade, construindo novos futuros e alavancando o audiovisual no Brasil.

Público assiste sessão de filme na inauguração do Animaparque

Entre as colaborações já confirmadas, destaca-se a aliança com o renomado estúdio mexicano El Taller del Chucho, liderado pelo cineasta Guilhermo Del Toro, vencedor do Oscar deste ano com o filme “Pinóquio”, que revigorou a mágica do stop motion em longas-metragens por meio da computação gráfica. Além disso, o Animaparque será o palco da aguardada produção “Pinguim Tupiniquim”, uma colaboração entre o El Taller del Chucho e a Coala Filmes, dirigida pelo animador premiado internacionalmente Cesar Cabral. Outro destaque é a confirmação da filmagem do filme “A Marcha dos Girassóis”, uma obra em stop motion com o Giramundo, principal grupo de bonecos do Brasil. Essas parcerias, que devem gerar mais de 100 postos de trabalho no próximo ano, revelam o compromisso do Animaparque em impulsionar a inovação e a excelência na animação brasileira.

Todas essas iniciativas mostram as oportunidades que o audiovisual brasileiro pode aproveitar para os próximos anos, começando já em 2024, quando é esperado que o setor de animação movimente R$14,5 milhões e crie cerca de 500 postos de trabalho diretos, gerando emprego e renda.

Porta do estúdio de áudio do AnimaparqueInterior do estúdio de áudio

Estúdio-escola: formação, qualificação e produção audiovisual em um só lugar

O coração do Animaparque pulsa em dois núcleos fundamentais: o estúdio e a escola. O primeiro terá áreas para produção e pós-produção de audiovisual, estúdios, laboratório multimídia, áudio e trilhas sonoras, ateliês técnicos de cenografia, arte e figurino, camarins, sala de direção e base de produção. 

E para multiplicar o potencial do estúdio com cada vez mais profissionais qualificados, o núcleo escola visa integrar a prática à formação de jovens e de profissionais, que vão poder aprender fazendo. Em parceria com a UEMG, foi criado um curso gratuito de graduação em “Tecnologia em Cinema e Animação”, que já está em sua segunda turma e se prepara para selecionar a próxima leva de 30 alunos para 2024. O curso tem despertado interesse no país inteiro: a primeira turma teve universitários de 17 cidades diferentes, como Salvador, Brasília, Palmas, São Paulo e Belo Horizonte. Além do curso de graduação, serão oferecidos cursos técnicos em colaboração com a Escola SENAI Audiovisual. O núcleo escola conta com auditório multiuso, três salas de aula, laboratório multimídia, biblioteca-midiateca, área expositiva e salas de gestão. 

– Com este equipamento, nós estamos associando a formação, a qualificação e a produção audiovisual em um só lugar. Para entrar no mundo do cinema, é preciso ter um ambiente de produção que permita realizá-la. Queremos ver mais transformações de vida por meio da Cultura, de melhoria para profissionais que cresceram na região e hoje têm a oportunidade de se especializar e de empreender graças a essa oportunidade – afirma Cesar Piva, diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata (Apolo).

Alunos desenham um trabalho em conjunto

Um espaço dedicado à comunidade

O Animaparque é também um parque público para a cidade de Cataguases, que pode receber eventos e festas comunitárias, incluindo a exibição de filmes e espetáculos culturais abertos para toda a população.

Este novo equipamento surge em meio a uma transformação urbana significativa para Cataguases. Em suas origens, foi o ponto central da antiga “casa das máquinas” do serviço municipal e dos reservatórios de água da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA). Mais recentemente, sediou as ações do Centro das Tradições Mineiras (CTM), da renomada Cia. Ormeo de Teatro e Dança Contemporânea e do Ponto de Integração das Artes (PINA). Em 2016, com a renovação pelo governo municipal da concessão pública por mais 30 anos, novos projetos ocuparam os espaços e passaram a ser geridos pela Apolo.

– O Grupo Energisa tem um compromisso histórico com a Cultura brasileira. Apoiar a criação do Animaparque é ampliar, ainda mais, os projetos audiovisuais que já existem por meio das iniciativas do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais, também patrocinado pela Energisa. Temos orgulho de ver que este estúdio-escola também vai qualificar mais profissionais para atuar no Brasil e no exterior, impulsionar o setor de Animação e ainda valorizar artistas brasileiros – declara Daniele Salomão, vice-presidente de Gente, Gestão e Sustentabilidade do Grupo Energisa.

Uma mão com pincel adiciona um detalhe a uma pintura

Zona da Mata mineira: um celeiro de talentos 

A chegada do Animaparque à região vem somar-se a outras iniciativas em curso na Zona da Mata mineira. O Rio Pomba Valley, lançado em 2022, surgiu da intenção de alavancar a região para a nova economia com a formação de profissionais em carreiras de tecnologia, de modo a criar um ambiente propício ao desenvolvimento de negócios inovadores, integrado à realidade local. 

O Grupo Energisa acredita que ao combinar o talento da criação audiovisual (filmes, design e animação) com as novas tecnologias digitais (games, realidade aumentada, robôs e computação nas nuvens), será possível transformar mais realidades e criar um ambiente propício à inovação, criatividade e sustentabilidade.

Com o Animaparque, Cataguases inaugura um novo ciclo e promissor futuro em uma cidade já marcada pela tradição cinematográfica. O Animaparque está pronto para animar não apenas a Zona da Mata mineira, mas todo o cenário audiovisual brasileiro.

Fotos: Filmmaker Lacerda
 

Compartilhe essa notícia