Energisa Juntos

Energisa explica: o que é o Mercado Livre de Energia?

O que é, como funciona, benefícios para os negócios e outras dicas para você entender a grande mudança em curso no segmento de energia brasileiro

Publicada em:

 Região: 

Região: 

Brasil

A exemplo do que já acontece em outros países, o Brasil vem investindo na modernização do setor elétrico ao longo dos últimos anos. No começo de 2024, tivemos a abertura do mercado livre de energia para clientes de média e alta tensão, oferecendo mais possibilidades para consumidores industriais e comerciais. Este movimento é parte da busca por aumentar a eficiência energética do país, e, especialmente, um alinhamento a práticas internacionais para o incentivo à utilização de fontes renováveis de energia.

O que é o Mercado Livre de Energia?

A oportunidade de escolha entre fornecedores, fontes de energia e ofertas de mercado que resultam em economia, eficiência, planejamento e previsibilidade do custo da energia.

É um contraponto ao que hoje vivemos: o mercado cativo, em que pessoas físicas e jurídicas estão restritos à concessionária de energia local da sua cidade ou estado. Nesse modelo, o preço da energia elétrica flutua ao longo do ano por conta das bandeiras tarifárias, que elevam a conta de luz em épocas de seca ou outras condições adversas para a geração de energia. Por conta disso, o preço do pão produzido em uma padaria, por exemplo, pode variar conforme o custo da energia elétrica, trazendo um fator de incerteza para o negócio.

No Mercado Livre, ao contrário, a mesma padaria pode escolher quem fornece a energia elétrica, negociar diretamente com o fornecedor condições como preço, forma de pagamento ou duração do contrato, a ainda pode optar por usar apenas energia limpa, produzida a partir de fontes renováveis.

A partir de 2024, essa é a grande mudança para empresas de médio e pequeno porte ligadas em média e alta tensão, que passaram a ter acesso a opções que antes só eram disponíveis para empresas maiores, como grandes indústrias. É importante mencionar que o Mercado Livre de Energia ainda não está disponível para os consumidores residenciais, que são ligados na baixa tensão. A previsão é de que a abertura desse mercado ocorra apenas em 2026, ainda a confirmar.

Aqueles que viveram, ainda na década de 1990, a transformação do setor de telefonia, têm um excelente exemplo para entender o Mercado Livre de Energia. Empresas e clientes individuais, que antes tinham uma única opção de telefonia, passaram a poder escolher entre diversas operadoras, cada uma oferecendo planos diferentes, como pré ou pós-pago, além de combos que incluem serviços de internet ou TV por assinatura. E se o serviço prestado não for satisfatório, é sempre possível pedir a portabilidade para outra operadora.

Setor elétrico e sustentabilidade

As vantagens do novo modelo vão além. É imperativo hoje que as empresas de qualquer porte busquem não apenas a eficiência energética, mas também a adequação a desafios em seus setores, seja através de uma agenda ESG robusta ou inserção em programas de sustentabilidade locais, visando a redução de sua pegada de carbono. Esse é um compromisso global, que envolve países, entidades internacionais e, claro, empresas e indivíduos.

A mudança para o Mercado Livre de Energia também está alinhada a este movimento e vai permitir às empresas brasileiras a promoção de práticas mais responsáveis, tornando-as mais competitivas para o ambiente de negócios.

Descubra a (re)energisa

Dentro desse novo cenário – e com total atenção aos desafios de sustentabilidade globais – surgem empresas como a (re)energisa, uma marca que já nasce com a credibilidade e experiência do Grupo Energisa.

A (re)energisa oferece um ecossistema de produtos e soluções para facilitar a migração para o Mercado Livre de Energia e acelerar a transição energética dos seus clientes. É a maior empresa de geração solar fotovoltaica distribuída do Brasil e possui mais de 18 anos de atuação no Mercado Livre de Energia. Só no último ano, a (re)energisa fez seus clientes economizarem R$ 50 milhões em energia elétrica, com descontos que podem chegar a 30% do valor da conta de luz.

Para a (re)energisa, o Mercado Livre de Energia não é apenas uma oportunidade de negócio, mas também um veículo para a transformação do paradigma energético no Brasil.

Repensar a maneira como consumimos energia é justamente o convite que a (re)energisa tem feito para os clientes e para a sociedade, estimulando a busca por alternativas mais econômicas e sustentáveis, incentivando a transição energética e a construção de um mundo mais sustentável, com menos emissão de carbono – explica Roberta Godoi, vice-presidente de Soluções Energéticas e líder da (re)energisa.

Como migrar para o Mercado Livre de Energia?

Atualmente, são elegíveis para o Mercado Livre de Energia empresas com contas a partir de R$ 10 mil, ligadas em média ou alta tensão. A migração acontece em algumas etapas: é preciso encerrar o contrato no Mercado Cativo junto à concessionária local e realizar alguns procedimentos junto à CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) para cumprir todos os requisitos técnicos e comerciais necessários para a entrada no Mercado Livre de Energia.

A (re)energisa atua exatamente facilitando todos esses procedimentos, como mediadora entre as partes envolvidas, simplificando todo o processo de migração.

Um excelente exemplo prático de como funciona esta migração, bem como os resultados, é a 3F Fechaduras e cadeados, empresa sediada em Nova Friburgo (RJ) que migrou para o Mercado Livre em 2016. Como maquinário da fábrica depende de energia elétrica para funcionar, a conta de luz acaba sendo um dos grandes custos para a empresa. A migração proporcionou economia de custos e segurança para fazer planos para o futuro:

O nosso relacionamento hoje com a (re)energisa é de extrema confiança. A gente vai expandir o nosso negócio e a gente quer continuar contando com a (re)energisa. Ela se mostra preocupada com os apelos sustentáveis de geração de energia verde e alguns de nossos clientes também se preocupam com a questão ambiental. A gente vê que isso vai expandir e a (re)energisa está atenta a esse movimento do mercado. explica Walmir Martins, coordenador administrativo da 3F Fechaduras e Cadeados.

Caso você queira migrar para o Mercado Livre de Energia, a (re)energisa está pronta para te ajudar a fazer as melhores escolhas para o seu negócio.

A abertura do Mercado Livre de Energia para clientes de média e alta tensão no Brasil representa um marco significativo no setor elétrico nacional. Ao proporcionar maior flexibilidade, competitividade e incentivar práticas sustentáveis, o país está pavimentando o caminho para um futuro energético mais dinâmico e eficiente.

distribuição, Energia Limpa, Empresas

Compartilhe essa notícia