Energisa Juntos

Instituto Energisa divulga programação selecionada para seus espaços culturais

Projetos foram selecionados na primeira chamada do edital de ocupação, que segue aberto ao longo de 2024, com novos projetos selecionados a cada 3 meses

Publicada em:

 Categoria:

 Sustentabilidade

 Região: 

Região: 

Brasil

A Energisa patrocina a cultura brasileira nos mais diversos cantos do país. Os espaços culturais sediados em Cataguases (MG), Nova Friburgo (RJ) e João Pessoa (PB) são palcos importantes das cenas locais de arte e cultura em suas cidades e recebem centenas de atrações ao longo do ano.

Para atrair novos projetos e diversificar ainda mais a sua programação, o Instituto Energisa lançou um edital de ocupação dos seus centros culturais, que acaba de divulgar a primeira lista de selecionados para a programação deste ano.

Nesta chamada, foram selecionados 48 projetos para a programação dos centros culturais, sendo 10 projetos para o Centro Cultural Humberto Mauro e o Anfiteatro Ivan Müller Botelho em Cataguases (MG), 15 projetos para a Usina Cultural Nova Friburgo (RJ) e 23 projetos para a Usina Cultural Energisa em João Pessoa (PB).

A diversidade de linguagens e de temas são pontos importantes dos projetos selecionados, mostrando a força criativa de nossas expressões culturais. Artes cênicas, dança, música, artes visuais, literatura, cursos, oficinas e feiras criativas ocuparão os espaços geridos pela Energisa, tocando em pontos fundamentais como as culturas populares, a arte urbana, lutas feministas, movimento negro e dos povos indígenas.

A primeira chamada pública do nosso primeiro edital de ocupação estruturada foi uma agradável surpresa, pois descobrimos projetos com uma grande variedade cultural e de ideias. Todos têm em comum a questão da diversidade, a democratização do acesso e a valorização da produção regional. Temos grandes expectativas, pois os primeiros selecionados chamaram a atenção pela qualidade técnica e estética, e pela vontade dos produtores de participar e estar dentro dos centros culturais – conta Delania Cavalcante, coordenadora de investimento social do Grupo Energisa.

Selecionamos um projeto de cada cidade para que você possa conhecer alguns destaques da nossa programação. São eles: a II Djaniras – Mostra de Cinema Feminino, a peça teatral Dasdô e Imaculada e o espetáculo multilinguagem Não é Tão Preto no Branco.

II Djaniras – Mostra de Cinema Feminino

A mostra Djaniras, organizada por Adriana Soares, acontecerá em João Pessoa em maio e traz um panorama das produções cinematográficas femininas no Brasil. O festival conta com duas mostras competitivas de curtas metragens? a mostra “Margaridas”, para realizadoras paraibanas, e a mostra “Acácia”, de caráter nacional. Projeções especiais também estão previstas dentro das mostras “Campo em Flor”, focada no cinema infantil, e a “Benvenuty”, com temáticas LGBTQIAPN+. Ainda acontece a mostra especial “Aroeira”, trazendo um panorama de uma cineasta brasileira e, por fim, a mostra “Benedita”, com uma homenagem a uma atriz do cinema do Nordeste. Todas as mostras competitivas são de júri popular, então quem for ao cinema poderá votar em seus filmes preferidos.

Além de toda essa rica filmografia, o evento também apresenta debates com realizadoras e oficinas para mulheres que queiram se aperfeiçoar em diversas funções dentro de um set de filmagem como, por exemplo, a assistência de direção.

O nome Djaniras surge da confluência de afeto, ancestralidade e resistência. Djanira é o feminino que tem intimidade com a insurreição. O cinema feminino realizado por diretoras, roteiristas e produtoras deve ser valorizado e divulgado, porque garante um olhar plural da nossa cultura – defende Adriana Soares, diretora da mostra.

Cartaz da mostra Djaniras

Dasdô e Imaculada

Em Cataguases, uma peça encenada por dois atores locais volta aos palcos. Dasdô e Imaculada é uma comédia de costumes criada por Marco Andrade e Carlos Augusto Martins. Encenada pela primeira vez há 35 anos, a peça volta à cidade em um novo episódio: o retorno das lavadeiras Dasdô e Imaculada contando suas desventuras no Rio de Janeiro e em Ribeirão Preto. Além do texto inteligente e bem-humorado, o espetáculo também conta com improvisação e participação da plateia.

Temos um roteiro que escrevemos para a peça, um texto-base que serve de guia, mas cada apresentação é diferente, porque usamos muito de improvisação e da interação com a plateia no nosso trabalho – conta Marco Andrade, um dos criadores da peça.

Marco Andrade e Carlos Augusto Martins, atores de Dasdô e Imaculada

Não é Tão Preto no Branco

Voando para Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro, muita coisa vai acontecer na Usina Cultural Nova Friburgo. Um dos destaques é o espetáculo multilinguagem Não é Tão Preto no Branco, que conta com a concepção e realização de João Leonardo junto com a Banda Baderna.

O nome do espetáculo já mostra que as divisões não estão claras e que a apresentação prioriza e baseia-se na mistura de histórias, temas e linguagens para criar um espetáculo musical que conta também com declamação de poesia, projeção de vídeo, tudo em um ambiente cênico ritualístico.

Quando pensei no teatro, não quis fazer um show de rock comum, porque as pessoas estão sentadas, não podem dançar. Então aproveitei dessa concentração para pensar em um espetáculo que falasse do Brasil, começando no período anterior à chegada de Cabral, dando um pulo no futuro e terminando no presente. Contamos através de muitas linguagens essa história da mistura do povo brasileiro – explica João Leonardo, diretor do espetáculo.

O show multilinguagem conversa com as ideias de antropofagia da emblemática semana de 1922 e trabalha referências que vão da tropicália ao pensamento de Darcy Ribeiro, imaginando a América Latina como uma nova etnia, fruto da mistura de muitos povos do mundo todo. Tudo isso em um ambiente ritualístico que mistura a Grécia antiga, a umbanda e o poder místico da alquimia da idade média.

O espetáculo Não é Tão Preto no Branco
Foto: Gabriel Soares

Edital de ocupação segue aberto para novos projetos

O edital de ocupação dos espaços também deixou excelente impressão nos participantes, tanto pela importância desses centros culturais para suas cidades e regiões, quanto pela facilidade na inscrição e boa comunicação com o time da Energisa.

Vale dizer que foi um edital muito simples de participar, com o pessoal da Energisa sempre solícito, respondendo a gente. Um edital que permite que produtores locais ocupem esse importante espaço cultural da cidade – comemorou Adriana Soares, diretora da mostra Djaniras.

Fortalecer a produção local e ampliar o intercâmbio entre as regiões do país são missões dessa convocatória que reforça o compromisso da Energisa em fomentar, democratizar o acesso e trazer a público toda a energia da cultura brasileira em suas manifestações plurais.

É fundamental a Energisa abrir esses espaços para a produção local. Aqui em Nova Friburgo, a Usina é praticamente o único lugar para os artistas da região ocuparem. É realmente um espaço de resistência, o mais democrático que temos, importantíssimo para a cidade – completou João Leonardo, diretor do espetáculo Não é Tão Preto no Branco.

O edital segue aberto durante todo o ano de 2024, com chamadas trimestrais. Artistas e produtores podem enviar seus projetos a qualquer momento. Mesmo quem não for selecionado receberá um e-mail resposta informando o motivo da recusa e pode participar das próximas chamadas.

Espero que a segunda chamada, que ocorrerá em abril, traga coisas completamente diferentes, pois é isso que buscamos. Não é uma programação pré-definida, mas sim uma que desejamos que surpreenda tanto a mim quanto ao público. Acredito que teremos coisas muito interessantes nessa chamada e que mais projetos sejam submetidos – comemora Delania.

Para se inscrever, basta ler atentamente ao Edital 001/24 e seus anexos, preencher o Formulário de Inscrição e enviar a documentação necessária. Em caso de dúvidas é possível consultar o FAQ ou enviar um e-mail para o espaço que deseja realiza seu projeto.

Serviço:

Edital de seleção de ocupação gratuita dos centros culturais 2024

  • Período de inscrição: ao longo de 2024
  • Divulgação de selecionados: 30/04, 30/07 e 30/10/2024.
  • Inscrições: através do preenchimento deste formulário
  • Regulamento: confira o edital completo

     

     

centro cultural, Cultura, Programação cultural

Compartilhe essa notícia